O Xamanismo na vida urbana – Parte 3

O Xamanismo na vida urbana – Parte 3

Por Athamis Barbara

Xamanismo na vida Urbana.

Xamanismo na vida Urbana.

Há 15 anos fazemos uma celebração de coroamento das mulheres sábias, empoderando as mulheres mais velhas e que não mais menstruam. Ajudando-as a assumirem seu lado sábio e se tornando as responsáveis pela comunidade. Muitas não entendem e não aceitam que são sábias. Que a experiência de vidas as torna anciãs, sábias.

Nunca esqueço de uma senhora que veio a uma destas celebrações e nos relatou que depois deste dia ela entrou no banco para falar com o gerente e percebeu que entrou com a cabeça erguida e não mais tão envergonhada de poder passar a frente na fila. A lei sempre lhe garantiu este direito, mas ela mesmo não havia entendido ou integrado esta sabedoria dentro dela. Não precisamos de muita coisa para ela se lembrar de se ver sábia. As próprias colegas de ritos ao contar suas histórias de vida a convenceram que ela é sábia.

Os ritos tradicionais, as técnicas ancestrais nos ajudam nesta reconexão com a natureza mesmo quando a natureza não mais é parte de nossa vida cotidiana. Basta entender que o espírito da árvore está vivo, podemos nos conectar a esta árvore, da mesma forma que os nativos fazem nas florestas. Só iremos sentir falta da quantidade, de árvores e pessoas que compreendam esta linguagem.

Por isso eu luto para que tenhamos um lugar físico onde podemos falar e expressar nossa fé. Meu tambor não é melhor que uma cruz. Meu tambor não exclui a cruz, mas não deseja ser excluído pelos que professam outras fés.

O Criador fez todas as cores para podermos escolher como expressar nossa beleza. Eu escolhi o arco íris que conecta as várias cores e o caminho vermelho como meu amparo espiritual pois me remota aos meus ancestrais que, por terem vivido antes de mim, me ajudam a viver melhor esta vida. Eles nos ensinam e indicam o caminho. Assim como nossos aliados de poder e nossos mestres interiores.

Os animais que vemos nas nossas jornadas nos indicam caminhos e nos dão dicas sobre nossa força interior. Eles vivem no mundo inferior, onde há densidade. Os mestres do mundo superior nos mostram outro mundo, mais sutil, mas também nos indicam uma visão menos racional e mais conectada ao nosso coração. Se praticarmos muito estas jornadas conseguiremos ver além e poderemos ajudar a outros, inclusive no casos de doenças físicas e não apenas emocionais ou espirituais.

Muitos perguntam se todos que praticam o xamanismo são xamãs. Eu digo que não. Como não existe um diploma dado por ninguém para ser xamã, será a própria pessoa a convencer a comunidade que tem dons da visão e de cura. O xamã ou a xamanisa é a pessoa que liga o céu a terra ao se comunicar com os espíritos e que traz a para a terra a força da cura. Além disso ela usa técnicas ancestrais de cura e passou por vários ritos de passagem. Mas como falei, será a comunidade que reconhecerar os dons e qualidades de um xamã.

Eu, você, podemos despertar esta força interna que se conecta com uma força muito maior que todos nós e que não é necessariamente desta Terra.

Sou Athamis

E falei
Athamis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *